terça-feira, 9 de setembro de 2008

Espelho

Gosto do espelho do banheiro da rodoviária de Prudente. Sempre que nele me olho, me vejo diferente da última vez que por ali passei. Sinto como se visse a mesma imagem que os que não me vêem há algum tempo fosse ver. Família. Amigos. Mais “nega”, mais velha. Com certeza mais velha. Fica bem nítido nos olhos. Olhos de: “nem que eu fale, explicaria por tudo que passei nesse tempo em que não estavam aqui”.
Não sou a mesma. E não serei mais essa da próxima vez que por aqui eu passar.

Um comentário:

Gabriel Marchioli disse...

O espelho só reflete aquilo que a alma transpassa, de repente angústia, alívio, quanta bipolaridade há num espelho. Mas se o espelho reflete o íntimo, de fato. Somos o espelho. E Refletimos e mudamos.